Aparelho Móvel

O aparelho ortodôntico móvel é a principal ferramenta da Ortopedia Funcional dos Maxilares para o tratamento de crianças entre os seis e os doze anos de idade.

Se você se preocupa com o desenvolvimento correto das arcadas dentárias do seu filho, esta seção oferece muitas informações sobre ortodontia preventiva, feita com aparelho ortodôntico móvel.

Aparelho Móvel

Em que situações é indicado o uso do aparelho ortodôntico móvel?

Em primeiro lugar é importante lembrar que estamos falando dos aparelhos removíveis da Ortopedia Funcional dos Maxilares, que é uma especialidade diferente  da ortodontia, apesar de ambas terem objetivos bem próximos.

Mais do que movimentar dentes, estes aparelhos têm a função de reeducar a musculatura facial e estimular o desenvolvimento ósseo e muscular através de mudanças na postura em que a criança fecha a boca.

As técnicas de Ortopedia Funcional podem ser aplicadas em crianças entre seis e doze anos com ótimos resultados comprovados por diversos trabalhos científicos publicados:

Criança usando aparellho móvel

Criança usando aparellho móvel

Seis anos de idade não é muito cedo para um tratamento ortodôntico?

Dependendo do problema, esta pode ser a idade ideal para uma intervenção. Mordidas cruzadas, mordidas abertas e falta de crescimento da mandíbula, por exemplo, devem ser tratados o quanto antes. Mas, na maioria dos casos, iniciamos por volta dos oito anos.

Mesmo com dentes de leite na boca o tratamento pode ser iniciado?

Sim. Na Ortopedia Funcional dos Maxilares nós não movimentamos os dentes diretamente e sim reorganizamos a musculatura e as funções da boca (respiração, deglutição, fala e mastigação).

Através do aparelho ortodôntico móvel o ortodontista vai influenciar diretamente o desenvolvimento ósseo e a posição dos dentes no futuro.

E como saber se a criança tem um destes problemas que precisam de tratamento precoce?

É simples. Se a criança está com seis anos ou mais, é importante fazer uma primeira avaliação com o ortodontista.

Normalmente é simples recolocar o desenvolvimento facial no caminho certo quando intervimos cedo. O tempo faz com que os problemas  se consolidem, dificultando ou mesmo inviabilizando a solução.

Eu posso detectar algum problema na dentição do meu filho? O que devo observar?

Alguns problemas mais agudos no desenvolvimento da face e da dentição da criança podem ser detectados pelos responsáveis, que devem então procurar o especialista. Alguns desses problemas podem ser visualizados abaixo:

  • Os dentes permanentes estão nascendo desalinhados ou se um único dente permanente precisou “derrubar” dois dentes de leite para nascer.
  • Um ou mais dentes inferiores fecham pela frente dos superiores, ou se o queixo está um pouco para o lado criando assimetria na face.
  • A criança não consegue morder os alimentos de frente, usando sempre a lateral da boca.
  • O queixo é muito para frente ou muito para trás em relação ao resto da face.
  • A criança respira pela boca, range os dentes, rói unha, chupa dedo ou chupeta.
  • A criança fala projetando a língua entre os dentes.

Se notar algum destes sinais, é indicado fazer uma avaliação com um especialista.

Abaixo, algumas imagens de problemas comuns em crianças pequenas:

Mordida aberta anterior

Mordida aberta anterior associada à respiração bucal

Mordida Cruzada Severa

Mordida cruzada com desvio da linha média da face

Falta espaço

Falta de espaço para a erupção dos dentes permanentes

E qual o primeiro passo se for necessário o tratamento ortodôntico?

Após uma avaliação o ortodontista vai pedir a documentação ortodôntica com radiografias, fotos e o modelo das arcadas em gesso. Assim, ele pode fazer o planejamento do caso e definir o tipo de técnica necessária.

Existe mais de um tipo de aparelho ortodôntico móvel?

Sim, existem várias técnicas desenvolvidas por autores diferentes, com seus respectivos aparelhos. O ortodontista vai escolher a que ele considerar mais adequada à situação da criança.

Aparelho visto de frente

Aparelho visto de frente

Aparelho visto de lado

Aparelho visto de lado

Aparelho visto de cima

Aparelho visto de cima

E depois que ele é colocado?

Haverá um período de adaptação de uma ou duas semanas até que a criança se acostume a usar o aparelho ortodôntico móvel o tempo todo (inclusive para dormir). Ela só deve retirá-lo na hora das refeições.

Ele pode machucar?

Sim, pode machucar como um sapato novo, ou seja, depois de algum tempo de uso começa a incomodar, mas basta diminuir o tempo de uso e voltar ao ortodontista para os ajustes necessários.

Os dentes ficam doloridos?

Raramente, pois este tipo de tratamento não usa força para movimentar os dentes, mas sim estímulos para as estruturas ósseas da face crescerem corretamente. Por outro lado, o aparelho fixo faz força nos dentes e pode causar algum desconforto.

Então o aparelho ortodôntico móvel é melhor que o fixo?

Não, pois para cada situação, uma técnica diferente trará os melhores resultados. Mas podemos dizer que, geralmente, a ortopedia funcional dos maxilares (móvel) é mais indicada para crianças até os doze anos aproximadamente e, a ortodontia fixa, para adolescentes e adultos.

Em média, quanto tempo dura o tratamento ortodôntico?

Normalmente ele tem duas etapas: A primeira, com o aparelho ortodôntico móvel, corrige problemas ósseos e funcionais e leva de 12 a 24 meses para ser concluída. Depois destes problemas resolvidos, fazemos um intervalo para aguardar a troca de todos os dentes. Se houver necessidade, iniciamos uma segunda etapa, com o fixo, que corrige o posicionamento dentário.

Se o tratamento for iniciado aos oito anos, com que idade vai terminar?

Se considerarmos 18 meses como o tempo médio da primeira etapa do tratamento, esta termina aos nove anos e meio de idade. Então teremos um intervalo em que o uso é suspendido até a erupção dos caninos permanentes superiores, que acontece por volta dos doze anos. Se necessário, serão precisos mais 18 meses com o fixo, concluindo o tratamento aos treze anos e meio de idade, aproximadamente.

Todo aparelho ortodôntico móvel é de Ortopedia Funcional?

Na verdade, não. Existem aparelhos móveis que são usados para aplicar força nos dentes. São as chamadas placas ortodônticas. As diferenças entre aparelhos funcionais e placas são muitas. Placas atuam apenas em uma das arcadas, por isso você pode ter duas, uma superior e outra inferior, enquanto os aparelhos funcionais são bimaxilares, ou seja, são uma peça única para as duas arcadas. Os aparelhos funcionais ficam soltos na boca enquanto as placas são bem presas, fazendo um “click” quando encaixam na posição correta.

Placas exercem força ortodôntica nos dentes, usando os mesmos princípios dos aparelhos fixos (mas com menos precisão) enquanto que os aparelhos funcionais usam estímulos com alteração da posição da mandíbula, melhora do vedamento labial e posição da postura da língua, entre outras.

Aparelhos funcionais têm pouca aplicação para adultos, as placas podem ser usadas em adultos para correção de casos mais simples. Mas na grande maioria das vezes as placas perdem para os aparelhos fixos em precisão e velocidade do tratamento, por isso a maioria dos ortodontistas prefere tratar adultos com ortodontia fixa.

Por isso, nesta página tratamos apenas da aplicação da Ortopedia Funcional em crianças.

Para saber mais sobre o tratamento de jovens e adultos, visite a página do Aparelho Fixo.