Bandas (ou anéis), usar ou não?

Banda ortodôntica é aquele anel metálico que fica em torno dos dentes. Principalmente nos molares de quem usa aparelho ortodôntico.

Mas esse acessório é realmente necessário? Precisa ser usado sempre? Pode ser substituído?

Deve-se usar banda ortodôntica nos molares sempre?

Devemos esclarecer que, com ou sem banda ortodôntica, os molares precisam ser incluídos no aparelho. A peça usada nestes dentes é o Tubo ortodôntico.

O tubo é uma peça bem parecida com o bracket, mas não é igual.

O bracket é aberto e depende da ligadura elástica ou do amarrilho metálico para se prender ao arco ortodôntico.

O tubo é fechado e o arco entra pela lateral da peça. É a peça terminal do aparelho.

Existem variações, mas para ilustrar nosso post vamos trabalhar com essas características que são mais básicas.

O tubo pode ser preso ao dente por colagem direta ou soldado em uma banda que depois será cimentada no dente.

Tubo ortodôntico colado

A colagem do tubo diretamente no esmalte é um procedimento simples, rápido e favorece a higienização.

Por outro lado, como os molares fazem o trabalho mais pesado da mastigação, há uma maior chance de descolamento durante a alimentação.

Como as técnicas e os materiais de colagem evoluíram nos últimos anos, vários ortodontistas optam por colar os tubos atualmente.

Acima, podemos observar um tubo para colagem mostrando a base que recebe a resina usada para colar o acessório.

A base do tubo tem uma tela metálica onde a resina penetra para a fixação, exatamente como um bracket.

Tubo soldado à banda ortodôntica

A banda ortodôntica é um anel metálico, como uma cinta que circunda o dente de forma bem justa. O objetivo é receber um acessório soldado.

Ou seja, a banda é uma forma de fixar um acessório ao dente sem a necessidade de colagem.

No passado, todo o aparelho fixo era montado com bandas, o que dificultava muito a montagem do aparelho e a higienização.

Atualmente usamos a banda ortodôntica quase que exclusivamente nos molares.

Uma banda confeccionada dentro dos padrões, confere maior resistência ao tubo, sendo muito difícil o conjunto se soltar.

A banda pode provocar algum problema?

Se a banda ortodôntica não estiver bem adaptada ou apresentar falhas na cimentação, pode permitir a entrada de resíduos alimentares.

Isso pode produzir um odor desagradável, inflamações gengivais e até mesmo cáries extensas.

Bandas com mobilidade provavelmente estão soltas, ou seja, o cimento que existia entre o metal e o dente se dissolveu e os resíduos estão entrando neste espaço.

Esta situação deve ser resolvida o quanto antes.

Veja neste post mais informações sobre o perigo das bandas mal-adaptadas.

Na imagem observa-se uma banda com tubo soldado.

Cada ortodontista tem suas preferências

Muitos ortodontistas preferem trabalhar sempre com banda ortodôntica para evitar o descolamento das peças.

Outros usam esse recurso apenas eventualmente, para casos bem específicos.

Em algumas situações, contudo, é impossível abrir mão do uso das bandas.

Disjuntores palatinos, arcos transpalatinos, distalizadores, botão de nance e outros aparelhos que se fixam internamente, precisam de bandas para serem usados.

Para visualizar como as bandas são usadas nos disjuntores palatinos veja este infográfico sobre expansão rápida de maxila.

Portanto, pode-se dizer que a escolha entre tubo colado ou bandado depende do ortodontista, do caso e do tipo de aparelho que será usado.

Mas uma coisa podemos afirmar: Os molares devem ser incluídos na montagem do aparelho ortodôntico sempre que possível.